quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Pra ler no banheiro






Pra ler no banheiro

Quanto mais me conheço, melhor vivo e cresço. E, se meus desejos expresso, vivo. Se guardo tudo, inconfesso, morro.

Uma decisão a cada momento, eternas decisões indecisas. Eterna indecisão, lamento. Nunca decisão precisa. O que é certo ou errado? Que crime merece castigo? Onde vou, pra que lado? Eu não sei, sabe o amigo?

Difícil é suportar alegria. 
Tristeza era fácil, 
matava no peito todo dia.

Daquilo que um faz, dali nasce a paz. Se erra, dali nasce a guerra.

Se reflito, duvido. Se escolho, defino.

Mas, estar contente, aprendo sendo, no presente.

Que decretos pessoais posso baixar em minha própria vida, que mudem, em mim, minha maneira de ser?

Volta e meia, vou pela intuição. 
Isto que sei e nem sei que sei.











Nenhum comentário:

Postar um comentário